Buscar

Som para o carro: MP3 e DVD players para todos os gostos

Pelo Pinguim, direto do E-Glu

Desde os anos 70, nenhum automóvel é completo se não tiver um auto-rádio, toca-fita e, mais recentemente, aparelhos que reproduzam CDs, DVDs e até MP3. Em tempos de congestionamentos ou mesmo para viagens, um sistema de entretenimento no carro vem muito a calhar.

Todavia, escolher o som do carro e os alto-falantes que o acompanham demanda certos cuidados. O processo tem certas pegadinhas e, além disso, há muita informação errada circulando pela internet a respeito. Mesmo os instaladores profissionais de som cometem alguns erros que nos deixam de cabelo em pé - portanto você precisa ficar atento.

Componentes do som automotivo

Para ter um bom conjunto de som no seu carro, você precisa de no mínimo dois componentes: uma fonte sonora e um kit de alto-falantes. Pode parecer óbvio, mas as definições têm algumas pegadinhas. Acompanhe.

A fonte sonora é o aparelho que vai gerar a música ou a programação que você quer ouvir. Não considerarmos os sistemas já obsoletos (simples auto-rádios, toca-fitas e CD Players), apenas os que estão disponíveis nas lojas hoje.

Podemos dividir os aparelhos de som automotivo atuais em dois grandes grupos: MP3 Players e DVD Players. Mas antes, vamos discorrer sobre um recurso que ambos os tipos devem ter, e que é importante num automóvel: o rádio.

Falando sobre rádios...

Aparelhos apenas com rádios AM/FM são raros. Mas o aparelho que você for comprar - seja um MP3 ou um DVD Player - precisa, necessariamente, ter o recurso de sintonizar estações de rádio. Além da música, as notícias são importantes para os motoristas - o trânsito é um tempo “perdido” que pode ser “salvo” se você aproveitar para se informar.

Procure por modelos que permitem varrer automaticamente as estações. Isso é importantíssimo porque o rádio faz a tarefa sozinho e não tira a sua atenção do volante. Praticamente todos os modelos têm esse recurso, mas fique atento aos que não possuem.

Outro recurso bacana é o RDS, Radio Data System. Algumas estações de rádio transmitem, junto com a música, informações sobre ela - o nome da música e do artista aparecem no display do aparelho.

Um excelente modelo com esses dois recursos e bom preço é o DEH-2380UB, da tradicional marca Pioneer.

Alguns modelos possuem a função DX, que permite recepção de estações de FM distantes - muito útil em viagens.

Hoje em dia, as ondas curtas não têm a importância que tinham antigamente. Se o modelo tiver o recurso de sintonizar estações de ondas curtas, é uma adição bem-vinda, mas nem se preocupe com isso.

A propósito: apesar de tocarem CDs, MP3 e DVDs, os sistemas modernos de som automotivos ainda são chamados de auto-rádios ou, simplesmente, o rádio do carro - inclusive pelos fabricantes.

MP3 Players no carro

O Pioneer que citamos ali atrás também é um MP3 player. Essa combinação, MP3 + Rádio, é a mais simples e barata disponível hoje. Para escolher um modelo de som automotivo desse tipo, algumas regrinhas básicas devem ser seguidas.

Primeiro, não descuide do rádio, como já explicamos. Segundo, para ouvir MP3, o aparelho precisa aceitar alguma mídia que contenha esses arquivos. O formato mais comum é o pendrive, portanto seu som tem que ter uma porta USB para poder conectá-lo.

Aqui é necessário atenção: muitos (muitos mesmo!) rádios são compatíveis com pendrives de baixa capacidade - só de 2 GB ou mesmo de 1 GB. Preste atenção nisso, já que é difícil encontrar pendrives de tão “pouca” capacidade para vender. O mínimo hoje é 4 GB, e já existem pendrives a preços módicos com até 32GB de espaço.

Se você comprar um MP3 automotivo que não reconhece pendrives maiores que 2 GB, vai ter um problemão.

Veja se o aparelho possui outras opções de conexão. Um leitor de cartões de memória - desses usados em celulares e máquinas fotográficas - é bem-vindo, como também é bem-vinda uma conexão analógica, muitas vezes chamada de entrada auxiliar, para ligar um cabo a players externos como o iPod da Apple ou o Philips GoGear, ou ainda a um celular que toque MP3 como o LG Wink.

Um bom player que atende a todos esses requisitos é o Philips CE-130X, e você pode aproveitar um kit do Pontofrio.com que já inclui um pendrive Sandisk de 4GB.

Uma última coisa a observar: o MP3 é o mais popular mas não é o único formato de áudio que existe. Há, por exemplo, o WAV e WMA do Windows, AAC do iPod/iTunes, MPC, Ogg Vorbis, FLAC, AIFF... Verifique quantos formatos além do MP3 o seu som suporta. Se ele entender apenas de MP3 já está de bom tamanho, mas ter a opção dos formatos WMA e AAC é bem interessante.

DVD players para o carro

Antes de mais nada, um aviso: é perigoso e ilegal assistir a filmes e vídeos enquanto dirige. A atenção do motorista deve estar voltada ao trânsito, sempre. Não há exceções!

Então, qual a vantagem de ter um DVD player no carro? Bem, primeiramente, você tem o que fazer enquanto dirige, mas os passageiros não. Assistir a um filme durante uma viagem é um ótimo jeito de passar o tempo e driblar o cansaço. Quem viaja com crianças sabe do que estamos falando...

Os modelos de altura padrão (DIN 1) cabem na gaveta de auto-rádio de absolutamente qualquer carro - até mesmo dos populares mais baratos. Têm telas pequenas, normalmente de 3 polegadas, e lêem CDs, DVDs e arquivos de áudio e vídeo no pendrive.

É o caso do excelente Sony XPlod MEX-V30. Além da qualidade do V30 ser extrema, ele tem recursos bacanas como entrada para videogame, TV digital e até para uma câmera de ré - o carro de trás aparece na telinha, facilitando a manobra. O player é compatível com muitos formatos de arquivo fora o MP3: WMA (som), MPEG e DivX (video) e JPEG (fotos).

Se preferir uma tela maior, a dica é o PCA610, da Philco. Ele possui uma tela de 7 polegadas. Mas mesmo assim, ele também cabe na gaveta de som de qualquer carro: a tela possui um genial sistema retrátil, e fica escondida quando não está em uso. Para completar, ele tem um controle remoto sem fio, que pode ficar na mão das crianças no banco de trás para você dirigir sem ser perturbado.

Caso 7 polegadas não sejam suficientes, que tal 9? A GT Sound tem um modelo, bastante em conta até, com essa tela maior e vários recursos interessantes, como por exemplo entrada para câmeras de ré ou TV Digital e fones de ouvido sem fio para os passageiros não incomodarem o motorista. É o GT-D9500-T.

Esse modelo não vai no painel, mas sim preso no teto - verifique se ele pode ser instalado em seu carro antes de comprar.

Potência do som automotivo

Basicamente, potência é a “energia” que o aparelho entrega para os alto-falantes. Quanto maior a potência, maior é o volume, o alcance do som.

A potência é medida em Watts e representada pela letra W, mas atenção! A potência “certa” é a RMS. Alguns fabricantes usam um outro padrão chamado de potência PMPO. A potência em “Watts RMS” é a única padronizada e, portanto, a única correta - mesmo que ela pareça menor.

Atente para isso quando for comparar a potência de dois aparelhos: confira sempre a potência RMS nos dois.

Canais ou saídas estéreo

Para ouvir o som estéreo, (ou stereo, em inglês) é necessário que hajam dois canais no aparelho para ligar alto-falantes, um esquerdo e um direito. Cada canal vai ligado num alto-falante separado, e eles têm que ficar afastados entre si para que o ouvido direito ouça o falante direito e o esquerdo ouça o falante correspondente.

Dessa forma, nosso cérebro pode identificar em que posição os instrumentos estão dentro na música - por exemplo, um violão à esquerda, uma flauta direita, voz e pandeiro no centro. A isso chamamos campo sonoro.

No som automotivo, é bastante comum termos quatro canais: esquerdo e direito para a frente do carro, e esquerdo e direito para a traseira. Os alto-falantes são ligados diretamente a essas saídas por meio de cabos.

A potência de cada um desses canais hoje varia entre 20 W e 30 W, sendo um valor típico 25 W. Portanto, um MP3 player automotivo com 4 canais de 25 W (4x25W) tem um total de 100 W de potência.

Essa potência é mais do que adequada para ouvir som no seu carro. O Sony Xplod CDX-GT647UI, por exemplo, entrega 27 W por canal, totalizando 108 W

Amplifiadores externos

Apesar de 25 W por canal ser, sim, suficiente para a maioria dos carros, um sistema com 300 W soa bem melhor que um de 100 W (4x25W) quando ambos estão no mesmo volume.

Ou, explicando melhor: um sistema de 300 W com o volume no “3” produz uma onda sonora de mesma intensidade que um sistema de 100 W com volume no “9”, mas o sistema de 300 W produz um som mais puro.

A explicação é simples: com o equipamento mais “folgado”, menos distorções são geradas.

Mas, para obter potências maiores, é preciso adquirir amplificadores externos, que ficam entre o auto-rádio e os alto-falantes. Uma boa pedida é o Boog Digital DPS2450, com seus 900 W RMS de potência total.

A qualidade sonora realmente aumenta, se o amplificador e os alto-falantes forem de boa procedência. E de quebra você ganha mais volume para sonorizar uma área bem maior (uma festa de família por exemplo) com as portas do carro abertas - mas use o bom senso, não vá incomodar os vizinhos!

A única pegadinha é que o rádio do carro precisa ter saídas pré-amplificadas para ligar no amplificador. Não é possível ligar o amplificador direto nas saídas de alto-falante do player, é necessário ter essas outras saídas pré-amplificadas, separadas, para garantir a qualidade - o MM420, da AR70 por exemplo, as tem.

Sempre se lembre de comprar alto-falantes apropriados para a potência dos amplificadores.

Recursos extras

O que descrevemos até aqui são os recursos básicos, que a maioria dos equipamentos tem e que você precisa conferir. Mas há outros recursos opcionais que podem ser bem interessantes também.

Campo sonoro

No sinal em estéreo, os instrumentos musicais parecem ocupar seu lugar real no espaço, como se estivéssemos de frente para o conjunto musical, assistindo-o ao vivo.

Mas o ambiente dentro do carro não é muito propício ao estéreo verdadeiro. Por isso, alguns aparelhos possuem um recurso chamado de alinhamento de tempo (ou time alignment, ou ainda TA), que tenta ajustar da melhor forma possível o campo sonoro.

SONY XPLOD MEX-BT390

Integração com o celular

A capacidade de sincronizar as músicas do celular com o MP3 player automotivo é bem vinda. Facilita a vida porque a transferência é sem fio, usando a conexão Bluetooth.

O recurso é também bacana por permitir usar o rádio do carro como viva voz para. Um modelo bastante em conta e que faz tudo isso é o Pósitron SP3430

Resolução de tela

A resolução da maioria dos DVD players automotivos é pequena (normalmente 240 linhas), mas suficientes para assistir a filmes a uma distância razoável da telinha. Mas se você quer uma resolução maior, mesmo em telas de 7 polegadas, pode confiar no Philips-CED1700. Sua resolução, de 480 linhas, premite assistir DVDs sem perda de qualidade.

O modelo conta inclusive com conexão Bluetooth com seu celular, para transferência de arquivos e viva voz.

Saída para monitor externo

O PCA530 da Philco tem uma telinha de 3 polegadas integrada. Você pode ver vídeos diretamente nele. Mas também pode ligar dois outros monitores maiores, porque ele tem duas saídas de vídeo composto.

Você pode, por exemplo instalar monitores para as crianças no banco de trás - e ficar sossegado porque elas estarão usando cintos de segurança do jeito certo em vez de se espremerem no centro do banco para ver o filme.

GPS embutido

O DVD automotivo da GT Sound, o GTX1800, tem a maioria dos recursos que seus concorrentes de outras marcas também têm. Só isso já faria dele um bom produto. Mas, além de tudo, ele possui um navegador de GPS integrado: o mapa aparece na telinha do próprio auto-rádio.

Conexão com iPod

Você sempre pode usar a entrada auxiliar e um cabo de áudio para ligar seu iPod no rádio do carro. Mas você tem que controlar o iPod por ele próprio, o que não é muito indicado quando você está dirigindo.

Com o DVD player da JVC, o KW-AVX820, você pode usar um cabo especial (vendido separadamente) e controlar o iPod pelo JVC.

Instalação do som automotivo

Aqui a nossa indicação é de jamais economizar na instalação. Aquela oficina baratinha da sua rua pode não ter o know-how apropriado para instalar seu som como se deve. Procure por oficinas especializadas em som automotivo.

O Pontofrio.com oferece instalação gratuita e garantida para a maioria dos aparelhos de som automotivo da loja!

Adicionalmente, tome cuidado com um detalhe, que alguns instaladores parecem ignorar. Para que o campo ou palco sonoro do som estéreo se mantenha, é necessário que os alto-falantes esquerdos sejam instalados no lado esquerdo do carro (tanto na frente como na traseira), e os direitos no lado direito.

Pode parecer óbvio, mas não é incomum os instaladores ligarem os dois falantes direitos na frente (um de cada lado) e os dois esquerdos atrás. O efeito obtido é o de você não conseguir ouvir os instrumentos musicais no campo sonoro correto - alguns à direita, outros no centro, outros à esquerda. Com a instalação feita de forma errada, os instrumentos da música ficam como que “voando” sobre a nossa cabeça, de forma artificial e desagradável.

Se você identificar essa instalação errada, peça para o técnico refazer. É fácil identificá-la: o controle de balanço (balance) do aparelho deve controlar o equilíbrio do som da esquerda para a direita. Sente-se no banco do motorista, de frente para o rádio, e coloque todo o controle de balanço à esquerda, e só o lado esquerdo do carro deve tocar música. Com o controle todo para a direita, só o lado direito deve funcionar.

Agora coloque o controle balanço na posição central. O controle fader deve controlar o equilíbrio do som da traseira para a frente. Com o fader na posição front, o som deve sair só na parte da frente do carro. Na posição rear, deve sair só na parte traseira.

Se os dois controles estiverem com as funções trocadas, peça para o técnico refazer a instalação. É só inverter dois cabos na traseira do rádio.

Buscar